sábado, 31 de janeiro de 2015

A Sombra - Sintomas Parte II

A sombra é tudo aquilo que nós não queremos ser, tudo o que não desejamos encontrar dentro de nós. Com o termo sombra designamos, portanto, a soma de todos os âmbitos rejeitados da realidade que o homem não quer ver em si mesmo ou nos outros e que, por isso mesmo, permanecem inconscientes.
É aí que vigora uma lei um tanto irônica, da qual ninguém pode fugir: o ser humano se ocupa mais com aquilo que ele não quer. Ao fazê-lo, aproxima-se tanto do princípio rejeitado que acaba por vivê-lo.
Somos parcialmente cegos para uma parte de nossa psique (a sombra). Entramos em contato com ela, através de sua projeção ou reflexo no ambiente denominado "Mundo exterior". Ou seja, alguma característica que muito te incomoda em outra pessoa é uma faceta de sua sombra que você ignora.
A sombra nos deixa doentes, o encontro com a sombra nos faz sarar. Esta é a chave para entendermos a doença e a cura. Todo sintoma é um aspecto da sombra que se precipitou no corpo físico. É no sintoma que o homem vive aquilo de que não quis tomar consciência. O sintoma usa o corpo como um instrumento para fazer a pessoa tornar-se outra vez um todo. Trata-se do Princípio da Complementação que cuida para que, em última análise, não se perca a totalidade. Se uma pessoa se recusa a viver um princípio em sua consciência, esse princípio desce para o nível do corpo e aparece então como sintoma. Dessa maneira, a pessoa é obrigada a viver, a despeito de tudo, a manifestar o próprio princípio que rejeitou.
Não é de se admirar que detestemos tanto nossos sintomas, visto que são eles que nos obrigam a expressar justamente aqueles princípios que mais tencionamos não expor. Assim, continuamos a combater nossa cura. Afinal, são justamente eles que nos permitem entender e enxergar aqueles aspectos psíquicos que, de outro modo, nunca descobriríamos existir dentro de nós mesmos, já que vivem na sombra. Nosso corpo é espelho de nossa alma. Mas, de que adianta até mesmo o melhor dos espelhos se não relacionamos conosco o que vemos? 
A sombra torna o homem desonesto. Ele sempre acredita ser aquilo com que se identifica, que é tal como ele se vê. Essa forma de auto-avaliação corresponde ao que chamamos de desonestidade. No caso, estamos falando de desonestidade consigo mesmo. Todas as ilusões deste mundo são relativamente inocentes se comparadas àquela que infligimos a nós mesmos durante toda a nossa vida. Sermos honestos acerca de nós mesmos é um dos maiores desafios que temos de enfrentar.É por isso que o autoconhecimento tem sido considerado a missão mais difícil e importante por todos os que estão em busca da verdade. Conhecer a si mesmo não significa descobrir o eu e, sim, descobrir o self. Por outro lado, àqueles de nós que estiverem preparados para lutar, no sentido de serem mais honestos consigo mesmos, a doença pode tornar-se um maravilhoso auxílio ao longo do caminho, pois a doença nos torna pessoas honestas! Nos sintomas da doença vivemos de maneira clara e visível aquilo que sempre banimos da psique e que queremos ocultar. 
A maioria das pessoas acha difícil falar livre e francamente sobre seus problemas mais profundos. Contudo, elas falam abertamente sobre seus sintomas para qualquer pessoa. Mas não há maneira mais clara de contar aos outros quem de fato somos! A doença nos torna honestos e, impiedosamente, traz à tona os abismos da alma que vínhamos tentando ocultar. Essa honestidade (involuntária) também é a base para a simpatia e a dedicação que se manifestam diante das pessoas doentes. Aí aparecem de súbito parte das manipulações do ego inflado e de sua pretensão de poder, muitas ilusões são destruídas num instante; de repente os caminhos de vida são questionados. A honestidade possui uma beleza que, em partes, se torna visível nas pessoas doentes. 
A doença é a mais específica e comum expressão desta lei geral, segundo a qual os aspectos da sombra são precipitados na forma humana, e nela são somatizados como sintomas.
Livro: A Doença como Caminho - Thorwald Dethlefsen, Rudiger Dahlke - Ed. Cultrix

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

A real função dos sintomas

A grande questão da medicina ocidental atual é a falta de significação da doença vista apenas como uma parte (órgão) isolada do ser como doente, quando na verdade quando a doença se manifesta no corpo físico é porque já passou pelos outros campos do ser espiritual, mental e emocional. O significado de um acontecimento só surge como resultado da sua interpretação a diferenciação entre doença (âmbito da consciência) e sintoma (âmbito corporal).
Assim que um sintoma se manifesta no corpo de um ser humano, isto logo chama (mais ou menos) a atenção e interrompe muitas vezes a continuidade do caminho de vida vigente até então. O sintoma é um sinal que atrai sobre si a atenção, o interesse e a energia, pondo simultaneamente em risco o fluxo natural e suave dos processos. O sintoma exige nossa atenção, quer queiramos ou não. Essa interrupção das funções é sentida como se viesse de fora, como se fosse uma perturbação. Na maioria das vezes, a intenção do sintoma é fazer desaparecer o elemento irritante, a perturbação. O ser humano não quer ser perturbado, e assim começa a luta contra o sintoma. Essa luta consiste também em tratá-lo e em tentar eliminá-lo; desta forma, o sintoma sempre consegue que nos preocupemos com ele.
A doença é um estado do ser humano que indica que, na sua consciência, ela não está mais em ordem, ou seja, sua consciência registra que não está em harmonia. Essa perda de equilíbrio interior manifesta no corpo como um sintoma. Sendo assim, o sintoma é um sinal e um transmissor de informação, pois, com seu aparecimento, ele interrompe o fluxo da nossa vida e nos obriga a prestar atenção nele.Descobrirão no sintoma um companheiro capaz de ajudá-las a descobrir o que lhes falta. Dessa maneira, poderão vencer a própria doença. Nesse momento, o sintoma se transforma numa espécie de professor que nos ajuda em nosso esforço de nos desenvolvermos e tomarmos cada vez mais consciência de nós próprios.

Fratura: Observe as circunstâncias emocionais e sociais em que você se encontrava quando a fratura ocorreu. Uma amiga quebrou o punho quando justamente estava indo para uma reunião na qual anunciaria seu "rompimento" com a empresa para a qual trabalhava. Um caso parecido aconteceu quando um paciente que estava indo "romper" com a namorada, escorregou e fraturou um osso da perna. 
Uma fratura de osso está frequentemente ligada a uma mudança de direção na vida. Para sarar rápido, você tem que estar disposto a aceitar que a fratura é uma consequência da alteração de um padrão de vida familiar. Você precisa estar ciente de que seu corpo está lhe falando sobre mudança. 

Osso - Fratura: Revolta contra autoridade. Frase para mudar padrão: Em meu mundo eu sou a autoridade, porque sou o único que habita minha mente.

A fratura leva a um período direto e prolongado de repouso forçado. Toda ruptura de ossos provoca uma interrupção de nossa atividade motora normal e nos obriga a descansar. É bem possível que dessa passividade e tranquilidade forçadas surja uma nova atitude, ou orientação de vida. a fratura mostra com muita clareza a necessidade crescente de dar fim a algum processo que está em andamento e que ignoramos, visto que o corpo teve que romper uma velha ordem a fim de provocar irrupção da nova. A fratura interrompe o caminho anterior, cuja principal característica era a atividade e a movimentação frenéticas. O paciente se excedeu e ampliou todos os seus movimentos até chegar a uma situação de estresse ou, em outras palavras, ele "passou de todos os limites". 
Nossos ossos representam no corpo o princípio da firmeza, dos preceitos básicos, embora também a rigidez (inflexibilidade). Se o princípio da rigidez dominar o osso ele se torna sujeito à fratura e, portanto, incapaz de cumprir suas funções. O mesmo acontece no contexto de todas as normas. Elas devem de fato servir de apoio, mas não podem mais fazê-lo quando se tornam rígidas demais. Uma fratura mostra que, no âmbito psiquíco, uma pessoa se aferrou em demasia a uma norma sem se dar conta do fato. 
Com isso, ela se torna inflexível, rígida e prepotente demais. Assim como existe uma tendência de, com o aumento da idade, as pessoas se apegarem cada vez mais aos princípios, perdendo progressivamente  capacidade psíquica de adaptação, também de forma análoga aumenta a solidificação dos ossos, o que por sua vez aumenta o risco de fraturas. O pólo oposto é representado pelo bebê recém-nascido com seus ossinhos flexíveis, quase impossíveis de quebrar. A criança pequena ainda não dispõe de normas e medidas nas quais possa se enraizar. Se, durante sua vida, um ser humano se tornar inflexível demais, a fratura na espinha corrige essa unilateralidade. Podemos evitar isso na medida que cedemos voluntariamente.

Fontes:
"A Doença Como Caminho" - Thorwald Dethlefsen, Rudiger Dahlke - Ed. Cultrix
"Você pode curar sua vida" - Louise Hay - Ed. Pegue e Leve Saraiva
"Imagens que curam" - Gerald Epstein - Ed. Xenon

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Mensagem de hoje


A inteligência espiritual se desenvolve através de experiências que te colocam diante de dilemas morais perante os quais deveis tomar uma decisão na qual a dimensão moral é tênue.
Quando o ser ainda é criança deve entrar em contato com valores e conhecê-los cognitivamente e seus significados, principalmente através de estórias, para quando mais tarde, o jovem torna-se autônomo para tomar as decisões certas ao longo da vida diante destas situações de dilemas morais que ocorrem ao longo de toda a existência exigindo do ser certa sensibilidade moral para decidir-se por uma escolha que leve em consideração como esta decisão vai atingir o outro e ao mesmo tempo olhando para a situação a partir de suas próprias necessidades genuínas.
Esse desenvolvimento ocorre através de valores, mas principalmente o de amar ao semelhante como a si mesmo , princípio que permeia todas as religiões e é daí que vem a importância destas na formação do indivíduo.
Tornar-se um ser espiritualizado, porém, é ir além das religiões tão dogmáticas e tornar-se estes nobres valores, em ação.
Respeito mútuo, colher e plantar (a lei da ação e reação), somente falar quando tiver algo positivo a acrescentar, a caridade; são todos princípios a serem cultivados pelos seres que desejam seguir a senda espiritual.
Quando criança, o ser segue seu instinto, seus impulsos e é, através da educação que aprende que tem o poder de controlar estes impulsos e tomar as decisões baseadas no LIVRE-ARBÍTRIO que só os humanos possuem.
Ao tornarem-se adultos, tornam-se também escravo dos hábitos/padrões que se forem positivos e saudáveis, levarão à prosperidade e caso contrário serão auto-destrutivos.
Através de uma postura coerente de pensamentos, palavras e ações o ser desenvolve sua própria energia magnética que atrai e materializa situações e pessoas desta mesma vibração seguindo a lei do semelhante atrai semelhante.
Portanto, o desenvolvimento espiritual/moral é muito mais do que apenas cognitivo, é muito mais do que apenas saber o que é certo e errado, mas SER todos os valores em ação nas suas escolhas diárias. Postura que deve ser nutrida diariamente para manter a alma desperta e consciente em suas decisões diárias.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Mensagem do Cristo para este Natal

Meditei no dia de hoje e pedi que Cristo me enviasse uma mensagem que fosse não somente para mim, mas também útil a mais pessoas. A volta de Cristo não será em carne; não será uma reencarnação, tampouco uma ressurreição. O verdadeiro retorno de Jesus acontece internamente dentro de cada coração. É o momento em que a humanidade como um coletivo atinge aquele patamar de altruísmo que Ele tanto pregou. A seguir está a mensagem que me deparei ao abrir o livro "Cartas de Cristo":

"O segredo do seu cansaço, esgotamento, falta de coerência, instabilidade, medo, desesperança e depressão, repousa em suas respostas magnético-emocionais de "ligação-rejeição" para a vida, e nos padrões subconscientes que às vezes assumem o controle e o projetam em situações que você nunca teve a intenção de criar. Por causa desses "impulsos naturais da individualidade" você certamente não é livre, você está sob o controle da escravidão magnético-emocional tanto em sua consciência como em sua mente inconsciente. Você vive nas regras do Ego, o qual trouxe para você a sua individualidade e o prendeu em grilhões de respostas emocionais para a vida.

Entretanto, chega o tempo para o buscador sincero e fervoroso, aquele que alegremente segue o Caminho da "Consciência Crística" - O CAMINHO DE CRISTO - em que meditando ele penetra nas zonas magnético-emocionais do cérebro, sob o crânio. As novas células serão impressas com esse novo conhecimento. Esse é um processo contínuo e provavelmente você sentirá essa "abertura" ocorrendo em seu cérebro.
Você começará a funcionar cada vez mais na mente supraconsciente, a qual está sempre em maior contato com a "Consciência-Pai-Mãe-Vida", até que chega o momento em que já não pode mais suportar os pensamentos e sentimentos do "ego" dominando sua consciência de todos os dias, e então você morre a morte da autorrendição. Quando isso acontece, a "Consciência Pai-Mãe-Vida" encherá sua visão excluindo tudo mais. Você estará entrando nas "frequências de consciência" do que chamei na Terra de o "Reino dos Céus". Essa fase se caracteriza por uma retirada progressiva do tipo de vida que você antes apreciava. Seus pensamentos se purificarão cada vez mais e você se perceberá respondendo às situações, acontecimentos e pessoas de uma maneira mais desapaixonada. Ao mesmo tempo em que emocionalmente você talvez esteja menos quente ou frio do que antes, também estará nos primeiros comprimentos de ondas do que você chama "amor incondicional". E então você fará todas as coisas a partir do ponto de vista da promoção do bem mais alto para todos, o que significa: seu crescimento, nutrição, cura, proteção, a satisfação de todas suas necessidades legítimas, dentro de um sistema de lei e ordem. Você amará mais profundamente do que antes, mas não haverá nada daquele sentimento "humano" que pode causar tantos erros na comunicação e ação.
Quando você tiver recebido o verdadeiro conhecimento interior, será capaz de transcender a carga emocional, será capaz de meditar e se inspirar no "Pai-Mãe-Vida" e sentirá uma nova energia entrando em seu sistema, trazendo um novo otimismo. Você sorrirá, brincará mais, encontrará felicidade nas pequenas coisas, amará o mundo, sentirá uma transbordante gratidão por cada pequena bênção que entra em sua vida. Você verá as bençãos se multiplicando em sua experiência e inundando o seu caminhar cotidiano.
Como se comporta a pessoa que conseguiu se libertar do "ego"?
Tal pessoa está, enfim, totalmente livre do medo. Ela terá convicção absoluta de que onde quer que vá, estará protegida. Ainda que possa passar por experiências potencialmente perigosas, sairá intacta. Saberá que não tem necessidade de espada ou arma para se proteger. Ela está protegida contra toda eventualidade negativa onde quer que esteja. Ela não temerá a doença, uma vez que sabe que todo recurso incorporado em seu sistema para mantê-la saudável está funcionando plenamente e trabalhando eficazmente.
Ela saberá que nunca precisará "desejar" as coisas de que necessita para uma vida feliz e cômoda. Continuamente louvará e dará graças ao "PAI-MÃE-VIDA" por todas as coisas já recebidas e por aquelas que receberá no futuro. Ela sabe que será guiada para estar no lugar certo no momento certo. Ela também sabe que pode pedir qualquer coisa que precisar e a resposta virá rapidamente. Porém o pedido procederá de seu centro espiritualmente iluminado e nunca buscará por qualquer coisa egoísta, mas sempre pedirá por coisas dentro do contexto do que será bom para o seu ambiente, comunidade, família e amigos.
Ela terá uma mente aberta, sabendo que a VERDADE é infinita e que mesmo que saiba muitas coisas, sempre há uma dimensão além para explorar. Isso é o que faz a vida tão alegre e cheia de propósito em qualquer dimensão, inclusive nos Reinos Celestiais de consciência.
Em sua vida diária, a alma iluminada acordará com a mente vazia de tudo, exceto de louvores e gratidão. Por fim, estará consciente das tarefas que a esperam, e dando graças pela energia e pela disponibilidade de realizá-las, sairá para cumpri-las sem nenhuma resistência interior ou relutância para iniciar. Como resultado dessa atitude na rotina cotidiana, não desperdiçará energia com resistências de nenhum tipo. Se há uma razão especial para resistir a alguma sugestão ou pressão, fará isso com tranquilidade e razoavelmente, sem sentimentos magnéticos-emocionais de aborrecimento ou rejeição. Ela se torna uma observadora desapaixonada, fazendo a coisa certa no momento certo.
Essa pessoa conduz sua alma com paciência, esperando orientação, esperando que se abram as portas certas, esperando a confirmação de que os seus planos sejam de fato divinamente desejados pelo seu ser, através de sua mente, coração e energia.
Ela se torna uma pessoa que manifesta verdadeiramente a "Consciência Pai-Mãe-Vida".
O homem adquire as características femininas do amor universal e se converte na personificação do amor inteligente ou da inteligência amorosa. 
A mulher adquire uma característica mais masculina de força e de um forte senso de direção.
Se alguém precisa de orientação, ele/ela mostrará uma inteligência amorosa e a pessoa será elevada pelas suas palavras. Se necessita de cura, ele/ela mostrará um amor inteligente e a pessoa será curada. Esse é o objetivo para o qual amorosamente encaminho você.
O Caminho para a Consciência Crística está resumido nestas CARTAS.
Quando o alcançar, você se alegrará e dirá que valeu a pena cada momento dos tempos duros e acidentados que terão ficado para trás para sempre. Estará livre para subir dimensões mais altas, cada uma levando você a novas experiências e alegrias.
Você se tornará fundador de uma nova ordem na Terra, a qual será a ponta da lança de uma nova onda de evolução espiritual.
Em muitos anos, quando essa evolução espiritual se espalhar às massas em geral, as pessoas finalmente aprenderão como viver em paz uns com os outros. 
Essas coisas seguramente se passarão e as SEMENTES  de tal futuro foram semeadas nessas Cartas. Quem quer que dê as boas vindas a elas em sua consciência e conserve a fé, por fim verá florescê-las em beleza, alegria e harmonia, produzindo frutos em sua vida diária. Creia, pois eu, o Cristo, falei."

sábado, 2 de agosto de 2014

A Pedagogia Waldorf e o Primeiro Setênio

A antroposofia é uma filosofia criada pelo alemão Rudolf Steiner em 1917. Segundo ele, a antroposofia é a ciência espiritual. A Pedagogia Waldorf surge da antroposofia e vê a educação como uma arte. Tem como base o entendimento de que cada ser humano é diferente e o ensino deve levar em conta as características pessoais de cada aluno.
Essa pedagogia trabalha com a visão de que a vida é feita de ciclos de 7 anos e tem toda sua estrutura voltada para cada um desses ciclos que são chamados setênios. Visto que o foco deste informativo é a Educação Infantil, tratei algumas questões relacionadas ao primeiro setênio da vida, a Primeira Infância da Criança, dos 0 aos 7 anos:
Nesta fase, toda a energia da criança está voltada para sua formação e desenvolvimento físico. Por esse motivo, quanto mais nova a criança, mais la dorme e mais importante é o sono para ela. Durante esse período, ela ainda não desenvolveu aquela barreira entre ela e o mundo como o adulto tem, ou seja, a criança é sensível ao ambiente, não diferenciando a si mesma do ambiente. Sendo assim, se o ambiente está agitado, a criança fica agitada; se há uma briga, a criança sente como se fosse com ela e da mesma forma, quando o ambiente é tranquilo, calmo e quieto, assim reflete na criança.
“A permeabilidade da criança ao que se acha ao seu redor é um fato que todo educador deveria conhecer e levar em conta. A criança absorve inconscientemente não só o que existe ao seu redor sob o aspecto físico; o clima emotivo que a circunda, o caráter e os sentimentos das pessoas que a rodeiam, tudo isso penetra e é absorvido por ela. (...) As influências que emanam do mundo ambiente exercem, portanto, efeitos profundos sobre a organização física e psíquica da criança, efeitos que farão sentir durante toda a vida futura. (...) Todo o clima sentimental e moral circundante atua sobre ela.
Inconscientemente, a criança imita o que percebe ao seu redor. Seu comportamento, seu modo de falar, suas maneiras à mesa, seus gestos, serão uma cópia dos modelos em volta.
Sabendo que a imitação e o exemplo são os motivos básicos de todo comportamento infantil, o educador tem em suas mãos a chave de ouro para realizar sua tarefa.” É através do exemplo e do ambiente que se educa uma criança em idade pré-escolar.
“O mundo é bom” – “Eis o julgamento que toda criança em idade pré-escolar deveria gritar, alegre e jubilante, cem vezes por dia... se fosse capaz de emitir julgamentos abstratos. Mas a sensação contida nessas palavras deveria permeá-la, inconscientemente, e constituir-lhe um sentimento quase religioso. Como ela ainda vive principalmente em seu corpo, Steiner chamou essa atitude de ‘religiosidade corporal.’”
“Um grande poeta alemão disse certa vez que em seus primeiros três anos de vida o homem aprende mais que em todos os seus estudos acadêmicos. De fato, se focalizarmos apenas o andar ereto, o falar e o pensar, conquistas que a criança realiza antes do término de seu terceiro ano de vida, teremos de reconhecer que esse aprendizado é o fundamento de toda a existência humana, em oposição à vida animal. Essas três atividades só podem ser aprendidas em contato com outros seres humanos. Elas estão intimamente ligadas entre si, de forma que um andar defeituoso pode ter por consequência defeitos de fala ou de raciocínio; por outro lado, exercícios motores podem corrigir defeitos da fala ou do pensar, e vice-versa. (...) Essas três conquistas correspondem às três virtudes básicas que a criança vivencia inconscientemente. Quando ela fala, ela deve praticar a honestidade: as palavras devem exprimir a verdade: nos pensamentos (por exemplo, numa ordem dada) deve haver coerência e clareza.
Tudo isso exige a observação de muitas regras de conduta e da auto-observação que os adultos devem seguir, se quiserem assumir o papel tão difícil de educadores de crianças.”

A entrada na segunda fase da vida é evidenciada pela troca da dentição como sinal de término de sua energia para sua formação física, como o nascimento de novas forças como memória e raciocínio, estando disponíveis para uma nova etapa de maturidade escolar.

terça-feira, 29 de abril de 2014

Curando com as Mãos - Light Healing

O Light Healing é a fase seguinte do curador de Magnified Healing. Ambas são técnicas de cura através das mãos. Enquanto o Magnified Healing trabalha com energias de 5ª Dimensão, o Light Healing utiliza energias de 9ª Dimensão. Essa energia atua como o raio laser da medicina tradicional só que ele é etérico (energético). Essa cura pode ser ministrada pessoalmente ou à distância e atua nos corpos físico, emocional, mental e espiritual. É indicada para tumores, infecções, queloides, cicatrizes, cistos, pedras, bloqueios, abscessos, furúnculos, inflamação, toxinas etc... Também pode ser utilizada para cura de doenças contagiosas ou genéticas, cura de relacionamentos, situações, animais de estimação e crianças.
Ao contrário do Reiki, onde o praticante utiliza sua própria energia no tratamento, no Light Healing, o curador serve apenas de canal e utiliza a energia Universal. Pode-se comparar ao celular quando está ficando sem bateria. O Reiki dá um pouco de carga para o celular, mas logo ela acabará necessitando de recarga. Já o Magnified Healing e o Light Healing dão uma carga eterna que só precisa ser mantida pela própria pessoa que a recebe.
Para que o tratamento seja eficaz, é necessário que a pessoa a receber aceite e queira, pois isso faz toda a diferença. O Raio Laser é enviado com impulsos elétricos na direção da pessoa e o magnetismo (vontade, intenção) dele atrai a energia.
Para os interessados, favor mandar email para: thalita.hg@hotmail.com com nome e situação ou doença a ser curada. O nome do interessado ficará na lista durante o mês e para que continue, é necessário enviar um email de feedback perto do fim do mês para que o nome continue na lista, senão ele será automaticamente retirado da lista.

segunda-feira, 31 de março de 2014

Pergaminho 1 - Abril

Pergaminho numero 1 - Hoje começo uma nova vida
Hoje começo uma nova vida. Hoje mudo minha pele velha que sofreu, por muito tempo, as machucaduras do fracasso e os ferimentos da mediocridade.
Hoje renasço e meu berço é uma vinha onde há frutas para todos.
Hoje colherei uvas de sabedoria da mais cheia e produtiva videira da vinha, pois elas foram plantadas pelos mais sábios de minha profissão que me antecederam, geração após geração.
Hoje provarei o sabor das uvas destas videiras e, em verdade, engolirei a semente do êxito incrustada em cada uva para que uma nova vida possa germinar dentro de mim.
A carreira que escolhi é plena de oportunidades, embora repleta de desgostos e desapontamentos e, se os corpos daqueles que fracassaram fossem empilhados um em cima do outro, lançariam sua sombra sobre todas as pirâmides da Terra.
Contudo, eu não fracassarei como os outros, pois em minhas mãos tenho agora o roteiro que me guiará por águas perigosas às praias que, ontem mesmo, pareceriam apenas um sonho.
O fracasso não será mais pagamento pelo meu esforço. Assim como a Natureza não preparou meu corpo para tolerar a dor, também não determinou que minha vida sofra o fracasso. O fracasso, como a dor, é elemento estranho a minha vida. No passado eu o aceitei, como aceitei a dor. Agora eu rejeito a ambos e estou preparado para a sabedoria e os princípios que me guiarão das sombras para a luz da riqueza, posição e felicidade, bem além dos meus sonhos mais extravagantes, quando até mesmo as maçãs douradas do Jardim das Hespérides me parecerão justa recompensa.
O tempo ensina tudo para quem vive eternamente, mas não tenho o luxo da eternidade. Contudo, dentro do tempo que me foi concedido, devo praticar a paciência, pois a Natureza jamais age apressadamente. Para criar a oliveira, rainha de todas as árvores, cem anos são necessários. Em nove semanas a cebola já está velha. Eu tenho vivido como uma cebola. Isto não me agrada. Agora, desejo tornar-me a maior das oliveiras e, em verdade, o maior dos vendedores.
E como se realizará isto? Pois não tenho nem o conhecimento nem a experiência para alcançar grandeza e já tropeço na ignorância e caio nas águas da lamúria. A resposta é simples. Começarei minha jornada desembaraçado do peso de conhecimentos desnecessários e de obstáculos da experiência sobre trabalhos sem resultados. A Natureza sempre me forneceu conhecimento e instinto maior do que a qualquer animal da floresta, superior até mesmo ao valor da experiência em geral superestimado por velhos que parecem sábios, mas falam tolices.
Em verdade, a experiência ensina a fundo, porém seu curso de instrução devora os anos dos homens e dessa maneira o valor das lições diminui com o tempo necessário para adquirir-se sua sabedoria especial. Seu objetivo desperdiça-se com a morte dos homens. Ademais, a experiência é comparável à moda; uma ação que resulta em êxito hoje poderá ser inaproveitável e impraticável amanhã.
Apenas princípios permanecem e estes eu agora tenho em meu poder, pois as leis que me levarão à grandeza estão contidas nas palavras dos pergaminhos. O que eles ensinarão será mais evitar o fracasso do que obter êxito, pois o que é o êxito senão um estado de espírito? Dois, entre mil sábios, se tanto, definirão o êxito nas mesmas palavras, enquanto o fracasso é sempre descrito de apenas um modo. O fracasso é a incapacidade do homem em atingir seus objetivos na vida, sejam eles quais forem. Na verdade, a única diferença entre aqueles que falharam e aqueles que tiveram sucesso está na diferença de seus hábitos. Bons hábitos são a chave do sucesso. Maus hábitos são a porta aberta para o fracasso. Assim, a primeira lei que obedecerei é: formarei bons hábitos e me tornarei escravo deles.
Quando criança, fui escravo de meus impulsos; agora sou escravo de meus hábitos, como todos os adultos. Abri mão de minha vontade própria, cedendo aos anos de hábitos acumulados e os últimos feitos de minha vida já parecem estar marcados por um destino que ameaça aprisionar meu futuro. Minhas ações são ditadas pelo apetite, paixão, preconceito, avidez, amor, medo, ambiente, hábito, e o pior de todos estes tiranos é o hábito. Se, portanto, devo ser escravo do hábito, que seja um escravo de bons hábitos. Meus maus hábitos devem ser destruídos e novos sulcos preparados para boas sementes. Eu formarei bons hábitos e me tornarei escravo deles.
E como realizarei esse difícil feito? Através destes pergaminhos, pois cada um deles contém um princípio que expulsará o mau hábito de minha vida e nela recolocará outro que me conduzirá para mais perto do sucesso. Pois é outra das leis naturais que apenas um hábito pode dominar outro hábito. Assim, para que estas palavras escritas realizem a tarefa escolhida, devo disciplinar-me ao seguinte, que é o primeiro de meus hábitos: Eu lerei cada pergaminho por trinta dias seguidos, da maneira recomendada, antes de passar ao pergaminho seguinte.
Primeiro, lerei as palavras em silêncio, ao acordar. Depois, lerei em silêncio, após almoçar. Finalmente, lerei de novo, antes de retirar me para o leito e, mais importante, nesta ocasião lerei em voz alta.
No dia seguinte, repetirei o processo e continuarei dessa maneira por trinta dias. Tomarei, então, o pergaminho seguinte e repetirei esse processo por outros trinta dias. Continuarei assim até viver com cada pergaminho por trinta dias, e minha leitura se torne um hábito.
E o que será conquistado com esse hábito? Aqui está o segredo oculto das conquistas humanas. Com a repetição das palavras diariamente, elas logo se tornarão parte de minha mente ativa, porém, mais importante, também se infiltrarão em minha outra mente, essa misteriosa fonte que nunca dorme, que cria meus sonhos e freqüentemente me faz agir de maneiras que mal percebo.
Assim que as palavras destes pergaminhos forem assimiladas pela minha mente misteriosa, eu começarei a despertar, cada manhã, com uma vitalidade que jamais conheci antes. Meu vigor aumentará, meu entusiasmo se levantará, meu desejo de encontrar o mundo ultrapassará qualquer medo que um dia conheci ao nascer do sol e serei mais feliz do que jamais acreditei ser possível neste mundo de luta e tristeza.
Finalmente, encontrar-me-ei reagindo em todas as situações que confrontar, como foi recomendado nos pergaminhos, e, logo, essas ações e reações se tornarão fáceis de executar, pois cada ato, com a prática, torna-se fácil.
Assim, nasce um novo e bom hábito, pois, quando um hábito se torna fácil, através de constante repetição, é um prazer executá-lo e, se é um prazer executá-l o, é da natureza do homem executá-lo freqüentemente. Quando eu o executo freqüentemente, ele se torna um hábito e eu me torno seu escravo; e desde que seja um bom hábito é a minha vontade.
Hoje começo uma nova vida.
E juro solenemente a mim mesmo que nada retardará o crescimento de minha nova vida. Não perderei um dia sequer destas leituras, pois este dia não pode ser recuperado nem posso substitui-lo por outro. Não devo, não quero quebrar o hábito de ler diariamente estes pergaminhos e, em verdade, os poucos momentos passados cada dia com este hábito são apenas um pequeno preço a pagar pela felicidade e êxito que serão meus. Ao ler e reler as palavras dos pergaminhos, nunca permitirei que a brevidade ou a simplicidade de suas palavras me faça encarar a mensagem como se fosse superficial. Milhares de uvas são amassadas para encher uma jarra de vinho, e a casca da uva e sua polpa ainda são bicadas pelos pássaros. Assim é com estas uvas de sabedoria das gerações. Muito tem sido filtrado e abalado pelo vento. Apenas a verdade pura permanece destilada nas palavras, para ser lembrada. Beberei segundo as instruções e não perderei uma só gota. E absorverei a semente do êxito.
Hoje minha pele velha se assemelha a poeira. Andarei altivo entre os homens e eles me reconhecerão, pois hoje sou um novo homem, com uma vida nova.